Tel.: (11) 5081.4936 / 5082.3913 - WhatsApp: (11) 94086.1112
Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 270
(próx. ao metrô Ana Rosa)
Vila Mariana - CEP: 04014-000 - São Paulo - SP

  CORONAVÍRUS  

               Perguntas Frequentes                  

Existe vacina para prevenção ao coronavírus?

Até o momento, não existe vacina contra coronavírus. No entanto, cientistas ao redor do mundo e no Estado de São Paulo, como as equipes do Instituto Butantan, já iniciaram pesquisas para desenvolvimento de vacina. Ainda é precoce indicar se e quando ela estará disponível.

Fonte: Secretária da Saúde do Estado de SP

A Vacina contra a gripe previne o coronavírus?

Não. As autoridades, porém, avaliam que a imunização facilita o diagnóstico para separar os casos quando há sintomas como febre e tosse. É por isso que Ministério da Saúde antecipou a vacinação anual de gripe no Brasil.

Fonte: Folha Vitória

Por que as vacinas contra a gripe e a pneumonia devem ser tomadas?

Ao proteger a população mais vulnerável, as vacinas evitam que sistema respiratório seja sobrecarregado. E se sabe que o coronavírus tende a provocar complicações entre quem está enfraquecido por uma doença ou carrega outros agentes infecciosos no corpo.

A vacinação ainda desafoga os pronto-socorros e hospitais do sistema público e privado, que vão ter menos pacientes com gripe e mais espaço para um eventual surto do cornavírus.

Além dissso, como justificou, em entrevista coletiva, o ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta. “Se a pessoa avisa que foi vacinada (contra a gripe e pneumonia), isso auxilia no raciocínio do profissional de saúde, do médico pensar em outros vírus por trás de uma doença”

Fonte: Saúde

De onde veio o novo coronavírus? Qual é seu transmissor?

Sabe-se que o paciente zero do vírus surgiu na província de Wuhan, na China. Não se sabe, no entanto, como ele o contraiu.

"Ainda não temos ideia do possível transmissor. Por comparações genéticas, sabemos que o SARS-CoV-2 é bem similar a sequências de coronavírus de morcego. Mas a transmissão de coronavírus de morcegos para humanos não só nunca foi documentada como é bem improvável", afirma o virologista Rômulo Neris, pesquisador visitante da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos.

"Em outros cenários, como [os das doenças] MERS e SARS, houve um intermediário entre morcegos e humanos, no qual o vírus se adaptou e se tornou patogênico para nós — para esses dois [vírus], temos dromedários e civetas transmitindo. Para o novo coronavírus, já pensamos em porcos, cobras e pangolins, mas até agora nenhuma evidência que suporte esses animais como reservatórios do vírus foi encontrada", acrescenta.

Além dissso, como justificou, em entrevista coletiva, o ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta. “Se a pessoa avisa que foi vacinada (contra a gripe e pneumonia), isso auxilia no raciocínio do profissional de saúde, do médico pensar em outros vírus por trás de uma doença”

Fonte: UOL

O coronavírus é transmitido pelo sexo ou por fluidos corporais, como esperma e secreção vaginal?

Também não há evidência de que secreções penianas, vaginais ou anais transmitam o novo coronavírus.

"O que se sabe é que o vírus está presente não apenas em secreções respiratórias, mas também no sangue e nas fezes. Por outro lado, o fato de estar presente nas fezes não implica que houve transmissão fecal oral, seja por contato sexual, seja por uma higiene inadequada. Isso ainda não está estabelecido, mas são essas as secreções onde o vírus foi adequadamente isolado", opina o infectologista Mateus Westin, professor da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

Fonte: UOL

Uma pessoa pode ser infectada duas vezes?

Sim, há registros de casos na China em que pessoas que já haviam contraído o vírus foram infectadas novamente, mas ainda não há material o bastante para afirmar que uma possível reinfecção seja universal.

"O vírus foi detectado novamente em alguns indivíduos que já tinham sido considerados curados até 30 dias depois da alta. Entretanto, ainda não se sabe se foi uma nova exposição ao vírus ou se ele havia se tornado subdetectável [não detectado no teste] e voltou a ser ativo e capaz de replicar. Em geral, uma parte dos indivíduos infectados tem níveis altos de anticorpos durante e depois da infecção e, em uma janela curta de tempo, provavelmente é resistente a uma nova infecção", pontua o virologista Neris.

Fonte: UOL

Em caso de uma segunda infecção, ela é mais agressiva?

Como ainda não há certeza de que as pessoas sejam reinfectadas, também não se pode estimar se, a exemplo da dengue, uma segunda infecção venha a ser mais violenta.

"No caso da reinfecção, que é muito mais exceção do que regra, não se tem evidências de que será um caso pior. O que acontece com alguns quadros infecciosos reincidentes é que, como o nosso sistema de imunidade já teve contato prévio com aquele vírus ou com um muito semelhante — como dengues do tipo 1 ao 4 —, hipoteticamente, podemos ter uma resposta imune muito acentuada e, em vez de combater com um tiro de revólver, vamos dar um de canhão. Isso produz uma resposta inflamatória mais intensa no nosso organismo, e são maiores as chances de evoluir com sintomas de mais gravidade. Mas não está estabelecido", afirma o infectologista Westin.

Fonte: UOL

Posso "levar" o vírus para casa ao pisar em local infectado? É possível transportar o vírus pelo sapato?

Muitas pessoas têm tirado os sapatos antes de entrar em casa, para "deixar o vírus na rua". Essa medida é eficiente, mas por um motivo diferente do imaginado: o local de contaminação mais provável é a superfície do sapato, e não a sola. Ainda não há provas se, ao tocar locais infectados, os sapatos possam "carregar" o vírus.

"É bem improvável que as solas dos sapatos sejam expostas ao vírus. Por outro lado, é provável que o vírus se acumule na superfície dos sapatos e seja transportado [para casa], em caso de exposição da pessoa a gotículas [infectadas]. Por isso, é importante higienizar as mãos ao chegar a casa, remover calçados e roupas utilizados durante o dia e não tocar o rosto durante esse processo", afirma Neris.

Fonte: UOL

O vírus é menos transmissível sob temperaturas mais altas? Em qual temperatura ele é eliminado?

Há diversas estimativas de quanto tempo o vírus dura em superfícies. Como já dito, tudo vai depender do ambiente e do tipo da superfície. O contato direto, por sua vez, é considerado a principal forma de contágio.

"Um estudo recente descreveu que a meia-vida do vírus em diferentes superfícies varia de duas a sete horas. Entretanto, vírus ainda podem ser detectados por até 72 horas em pequenas quantidades. Em ordem de persistência, temos papelão (até 24 horas), aço inoxidável (até 48 horas) e cobre (até 72 horas)", afirma o virologista Neris. Meia-vida é o tempo que leva para ser destruída metade dos vírus em contato com uma superfície.

Fonte: UOL

Quanto tempo o coronavírus dura em superfícies?

Há diversas estimativas de quanto tempo o vírus dura em superfícies. Como já dito, tudo vai depender do ambiente e do tipo da superfície. O contato direto, por sua vez, é considerado a principal forma de contágio.

"Um estudo recente descreveu que a meia-vida do vírus em diferentes superfícies varia de duas a sete horas. Entretanto, vírus ainda podem ser detectados por até 72 horas em pequenas quantidades. Em ordem de persistência, temos papelão (até 24 horas), aço inoxidável (até 48 horas) e cobre (até 72 horas)", afirma o virologista Neris. Meia-vida é o tempo que leva para ser destruída metade dos vírus em contato com uma superfície.

Fonte: UOL

Como o vírus reage em jovens?

Pessoas com menos de 60 anos representam cerca de 10% das mortes pelo novo coronavírus no Brasil. No entanto, esse público abrange quase 50% dos casos graves (segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde na semana passada) — parte desses pacientes mais jovens é saudável e sem problemas crônicos. Por que isso acontece? Essa é uma das dúvidas dos pesquisadores.

"Hipoteticamente, temos dois pacientes saudáveis de 33 anos que pegam o vírus. Um deles desenvolve quadro grave, é entubado, respira por ventilação mecânica e, talvez, fique com sequelas permanentes. O outro passa pela doença sem mais reações. Por quê? Ainda não sabemos, é impossível prever. Pacientes com condições pré-estabelecidas estão mais vulneráveis, é claro. Mas e quem não tem [um histórico de doenças]? Alguns morrem. É preciso entender melhor como o vírus funciona", afirma a infectologista Naihma Fontana, plantonista de um hospital que está recebendo pacientes suspeitos na região de Sorocaba.

Fonte: UOL

Qual a cura para covid-19?

Eis a pergunta! Apesar de, pelo mundo, existirem estudos que indicam boas respostas ao tratamento do novo coronavírus, como o uso de cloroquina, recentemente endossado pelo governo brasileiro, não há nenhuma cura para a doença.

"Não podemos falar em cura de maneira nenhuma. Até então, temos dados de estudos pequenos [sobre cloroquina]. Promissores, de fato, mas a eficácia real é uma coisa que ainda deverá ser estudada a fundo", diz o infectologista Evaldo Stanislau, do Hospital das Clínicas, em São Paulo.

Fonte: UOL

Se você contraiu o vírus e sobreviveu, pode pegá-lo uma segunda vez?

Ainda não é conhecido. Às vezes, uma pessoa é imune a uma doença após uma infecção, mas nem sempre. Estão sendo desenvolvidos e licenciados exames de sangue que revelam quantos anticorpos estão presentes nas pessoas que se recuperaram. Esses testes lançarão alguma luz sobre as perspectivas de imunidade.

Fonte: The Wall Street Journal

Devemos limpar nossos mantimentos depois de voltarmos do supermercado?

Os médicos dizem que é improvável que o vírus seja ingerido com alimentos contaminados, embora os cientistas ainda estejam estudando o vírus. Randy Worobo, professor de microbiologia de alimentos da Universidade de Cornell, diz que, em vez de se preocupar em limpar embalagens e recipientes, concentre-se em lavar as mãos. "É muito melhor tratar as mãos, lavar as mãos, em vez de lidar com todas as superfícies", diz o Dr. Worobo.

Fonte: The Wall Street Journal

O que devemos fazer em relação às consultas de rotina no dentista?

Em comunicado divulgado em 16 de março, a American Dental Association (ADA) instou os dentistas em todo o país a adiar procedimentos odontológicos não urgentes por três semanas para ajudar a retardar a propagação do Covid-19. Esse prazo pode ser estendido. A ADA possui um guia que mostra o que é considerado uma emergência odontológica e o que pode ser remarcado para mais tarde.

Fonte: The Wall Street Journal

Existe alguma informação sobre o número de pessoas que tiveram o Covid-19 e não são mais contagiosas?

Existem cerca de um milhão de casos confirmados em todo o mundo a partir de 2 de abril, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins. Desses casos confirmados, mais de 200.000 pessoas se recuperaram. A grande maioria das recuperações ocorre na China. As mortes pelo novo coronavírus superaram 50.000 em todo o mundo. Atualmente, os EUA têm mais de 230.000 casos confirmados e registraram mais de 5.500 mortes. Os dados de recuperação nos EUA ainda estão sendo compilados, mas estão chegando a 10.000.

Fonte: The Wall Street Journal

Tenho 70 anos, moro sozinho e não tenho familiares ou amigos próximos. Como saberei a diferença entre um resfriado / gripe grave e o Covid-19 antes que seja tarde demais para me dirigir ao médico?

Se você estiver doente, ligue primeiro para o seu médico antes de ir até o hospital. Se você não possui um médico, considere ligar para um provedor de telessaúde.

Os principais sintomas do Covid-19 são febre, tosse e falta de ar. O CDC criou um questionário de "autoavaliador" que pode ajudá-lo a entender melhor os sintomas que você pode estar enfrentando.

*Nota do tradutor: No Brasil ligue para 156 e faça o download do aplicativo Coronavírus SUS

Fonte: The Wall Street Journal

É seguro comer alimentos pedidos de restaurantes?

O principal risco de encomendar comida e mantimentos é que você pode pegar o vírus de um entregador infectado, se ele espirrar ou tossir. Isso ocorre porque o vírus se espalha principalmente por contato pessoa a pessoa. É menos provável, embora ainda seja possível, pegar o vírus tocando em embalagens contaminadas. Também pode haver um pequeno risco de tocar em alimentos crus que contenham o vírus e depois tocar em seu rosto. Mas parece não haver risco de contrair o vírus ao comê-lo em alimentos cozidos, dizem os especialistas.

Os médicos dizem que pedir comida é geralmente mais seguro do que ir a um supermercado ou restaurante, porque você entra em contato com menos pessoas.

Fonte: The Wall Street Journal

E se alguém no meu escritório for diagnosticado? Eu tenho que colocar em quarentena? Posso voltar ao trabalho?

Os empregadores têm o direito de pedir aos funcionários que trabalhem remotamente, desde que não apliquem uma política de maneira que possa ser considerada discriminatória, diz Angela B. Cornell, professora de clínica na Cornell Law School e diretora da escola. Clínica do Direito do Trabalho. Enquanto seu chefe pode pedir para você não entrar no escritório, eles não podem impedi-lo de ir a outros lugares ou, digamos, de usar o metrô. Dito isto, seu empregador pode oferecer recomendações sobre a distância de se aventurar de casa, diz Heather Bussing, uma advogada de emprego em Sonoma County, Califórnia, com a Rybicki & Associates PC.

Fonte: The Wall Street Journal

E se meu empregador quiser que eu volte, mas tenho medo de pegar o vírus?

Os empregadores geralmente não têm a obrigação de permitir o teletrabalho, diz Mitch Boyarsky, advogado de trabalho e emprego da Nelson Mullins Riley & Scarborough LLP. Uma exceção é um funcionário que se qualifica nos termos da Lei Americanos com Deficiências para trabalhar remotamente para acomodar uma deficiência. Outro pode ser se o governo está ordenando uma quarentena, dizem outros advogados. Então, um empregador pode ter a obrigação de permitir trabalho remoto.

Fonte: The Wall Street Journal

Quanto tempo esse vírus vai durar e permanecer uma ameaça em potencial? Será sempre parte do nosso ambiente ou seguirá seu curso e desaparecerá completamente?

A maioria dos analistas está relutante em prever - pelo menos publicamente - como isso vai acontecer. Amesh Adalja, pesquisador sênior do Johns Hopkins Center for Health Security, disse que o surto ainda está no primeiro turno. Ainda não está claro quantas pessoas têm a doença, a rapidez com que ela está se espalhando ou mesmo a mortalidade.

Os coronavírus em geral não são tão sazonais quanto a gripe. Portanto, embora sejam menos prevalentes na primavera e no verão, eles têm mais presença do que a gripe. Uma cepa diferente de coronavírus chamada SARS (síndrome respiratória aguda grave) começou em novembro de 2002 e desapareceu no verão de 2003, observa Gregory Poland, diretor do Grupo de Pesquisa de Vacinas da Mayo Clinic em Rochester, Minnesota. Mas isso não aconteceu com o MERS (síndrome respiratória do Oriente Médio).

O Covid-19 - a doença causada pelo novo coronavírus - circulou em algumas áreas com climas mais quentes, como Hong Kong e Cingapura. Mas, em geral, houve relativamente poucos casos em climas mais quentes.

Fonte: The Wall Street Journal

Gostaria de saber o que devo ter em mãos - comida, água etc. - caso precisemos ficar em quarentena e quanto tempo isso pode levar. Semanas? Meses?

Se lhe for dito para se auto-isolar, você precisará ficar em casa e evitar o contato com outras pessoas por 14 dias. Armazene alguns suprimentos para o caso de você precisar permanecer em casa, dizem especialistas em doenças infecciosas. Para evitar limpar as prateleiras da loja, basta comprar alguns extras em seus pedidos regulares ou em idas à loja. Os itens a serem considerados incluem alimentos estáveis nas prateleiras, como latas de feijão, pacotes de arroz e macarrão e bebidas; analgésicos e outros medicamentos comuns; medicamentos com receita; e produtos de higiene e limpeza.

Fonte: The Wall Street Journal

O Covid-19 é mais ou menos contagioso do que a gripe ou outras doenças respiratórias virais?

Covid-19 parece ser mais contagioso. A medida usada pelos profissionais de saúde é R0 - pronuncia-se "R Nada". R0 é uma estimativa de quantas pessoas saudáveis uma pessoa contagiosa irá infectar. O R0 para Covid-19 é estimado em 2,6. "Isso é muito", diz William Schaffner, professor da divisão de doenças infecciosas do Centro Médico da Universidade Vanderbilt, no Tennessee.

Em comparação, para a gripe, o número está em torno de 1,2 a 1,8, diz o Dr. Poland.

Fonte: The Wall Street Journal

Quanto tempo duram os antibacterianos, quando aplicados, e são eficazes?

Os especialistas dizem que os desinfetantes à base de álcool duram apenas um ou dois minutos e devem ser reaplicados quando a contaminação ocorrer novamente. Além disso, os desinfetantes para as mãos não são tão eficazes quanto o sabão e a água na remoção de certos tipos de germes, afirma o Centers for Disease Control and Prevention.

O CDC recomenda lavar as mãos com água e sabão quando estiver disponível e usar um desinfetante para as mãos somente quando água e sabão não for uma opção. Embora os desinfetantes para as mãos à base de álcool possam desativar muitos tipos de micróbios de maneira muito eficaz quando usados corretamente, as pessoas podem não usar uma quantidade suficientemente grande do desinfetante ou limpá-lo antes que ele seque. Ao usar o desinfetante para as mãos, aplique o produto na palma de uma mão (leia o rótulo para saber a quantidade correta) e esfregue-o por toda a superfície das mãos até que estejam secas.

Fonte: The Wall Street Journal

Quão seguras são as piscinas e as banheiras de hidromassagem?

Atualmente, não há evidências de que o vírus possa ser transmitido aos seres humanos através de piscinas ou banheiras de hidromassagem, de acordo com o CDC. A manutenção e desinfecção adequadas (através do uso de cloro e bromo) devem eliminar o vírus que causa o Covid-19.

Fonte: The Wall Street Journal

Tomar uma vacina contr a pneumonia evita ou ajuda a mitigar o impacto do coronavírus?

A vacina contra pneumonia não protege você contra o coronavírus, mas reduz o risco de pneumonia bacteriana ou infecção pulmonar, de acordo com o Centro Médico da Universidade da Virgínia. O centro aconselha as pessoas a tomar a vacina contra pneumonia. Esta vacina é recomendada para adultos com mais de 65 anos, para pessoas entre 2 e 64 anos de idade com determinadas condições médicas e para adultos de 19 a 64 anos que fumam.

Fonte: The Wall Street Journal

O que devo fazer se viajar de avião para um destino nos EUA (para um local onde não tenho conexões) e sentir que desenvolvi sintomas consistentes com o coronavírus?

Ligue antes de procurar atendimento. Se você estiver viajando e se afastando do seu médico, ligue para uma clínica ou pronto-socorro antes de ir pessoalmente. O CDC listou 282 departamentos de saúde credenciados em seu site. Muitos estados também estabeleceram números de linha direta, onde você pode obter mais informações.

*Nota do tradutor: No Brasil ligue para 156 e faça o download do aplicativo Coronavírus SUS

Fonte: The Wall Street Journal

Meu animal de estimação pode ficar doente se eu tivesse esse vírus? Posso obter o vírus do meu animal de estimação?

Atualmente, não há evidências de que animais de estimação possam ser infectados com o novo coronavírus, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Um relatório de Hong Kong surgiu no final de fevereiro, informando que um cão pertencente a um paciente infectado havia retornado um teste "fraco positivo" para o vírus. No entanto, as autoridades do Departamento de Pesca e Conversação Agrícola não conseguiram determinar como o cão o contraiu. Especialistas pediram aos donos de animais que mantenham uma boa higiene, como lavar as mãos, e evitem beijar seus animais de estimação.

Fonte: The Wall Street Journal

Como sei se tenho coronavírus?

O sinal revelador é dificuldade em respirar ou falta de ar combinada com febre alta, diz Wilbur Chen, professor associado de medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland. Uma febre alta seria acima de 37,5 graus celsius.

O vírus infecta o trato respiratório inferior. Os pacientes desenvolvem inicialmente febre, tosse e dores, e podem evoluir para falta de ar e complicações por pneumonia, de acordo com relatos de casos. Eles podem desenvolver náusea, com vômitos e diarréia. Alguns ficam apenas levemente doentes ou estão infectados, mas não ficam doentes. Outros ficam levemente doentes por alguns dias e desenvolvem rapidamente sintomas mais graves de pneumonia.

Fonte: The Wall Street Journal

Você também pode Fazer um Teste para diagnosticar se tem ou já teve o Coronavírus.

Como a taxa de mortalidade do coronavírus se compara à gripe?

As estimativas da taxa de mortalidade para o novo coronavírus são frequentemente citadas como cerca de 2%, embora as estimativas tenham variado de 1,4% a 3,4%. Em comparação, a taxa de mortalidade por influenza sazonal grave é muito menor, em 0,1%.

Uma vez conhecido o número de casos assintomáticos ou minimamente sintomáticos, a taxa real de mortalidade por novos coronavírus pode ser menor que 1%, escreveu Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, em um artigo do New England Journal of Medicine.

As estatísticas variam dependendo do número de casos e mortes confirmados, que mudam diariamente. Portanto, a taxa exata não será conhecida até que os especialistas conheçam o verdadeiro denominador, que é o número total de pessoas infectadas, incluindo as que são assintomáticas ou que nunca foram testadas.

Fonte: The Wall Street Journal

Quais precauções, se houver, devem ser tomadas pelas mulheres grávidas?

Especialistas dizem que as mulheres grávidas se enquadram na categoria vulnerável de pessoas com maior probabilidade de ficar gravemente doentes com o novo vírus. Embora as precauções sejam as mesmas, as mulheres grávidas precisam ser especialmente vigilantes. Evite grandes reuniões públicas se você estiver em uma área com novos casos de coronavírus, diz o Dr. Poland da Clínica Mayo. "As precauções devem ser aumentadas", diz ele.

Cameron Wolfe, professor associado de medicina da divisão de doenças infecciosas da Duke University Health System, recomenda se vacinar contra a gripe se estiver grávida e perguntar se o seu médico tem planos de contingência se novos casos de coronavírus se agravarem, como realizar uma visita virtual através de telemedicina quando possível.

Fonte: The Wall Street Journal

Como devo tratar os pacotes? É possível transmitir o vírus pelo correio?

O CDC afirmou que há um risco muito baixo de que o vírus possa se espalhar a partir de produtos ou embalagens importados, devido à baixa capacidade de sobrevivência dos coronavírus nas superfícies.

Fonte: The Wall Street Journal

Como posso me proteger melhor?

David Eisenman, diretor do Centro de Saúde Pública e Desastres da UCLA, diz que a coisa mais importante que você pode fazer é lavar as mãos com frequência, por pelo menos 20 segundos de cada vez. Lave-as regularmente quando estiver no escritório, quando voltar para casa, antes de comer e outras vezes em que estiver tocando superfícies. Você também pode usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.

Não toque nos olhos, nariz ou boca - os vírus podem entrar no seu corpo dessa maneira. Limpe objetos e superfícies com freqüência com o limpador doméstico, que matará o vírus. Mantenha distância das pessoas que estão doentes.

E tome uma vacina contra a gripe se você ainda não o fez. "Isso impede que você tenha uma doença que você acha que é coronavírus, porque elas podem agir de maneira muito semelhante", disse Eisenman.

Fonte: The Wall Street Journal

Quais são as “condições de saúde subjacentes” que podem colocar uma pessoa em maior risco de morte por coronavírus?

Adultos de todas as idades foram infectados pelo coronavírus, mas o risco é maior para pessoas idosas e com problemas de saúde subjacentes. Pessoas com diabetes, doenças cardíacas e pulmonares, incluindo doenças respiratórias, além de fumantes, correm maior risco de doenças graves. A maioria das 1.023 pessoas cujas mortes foram incluídas em um estudo do Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças tinha 60 anos ou mais e / ou outras doenças.

Especialistas em saúde pública aconselham manter a calma e seguir as mesmas precauções recomendadas para prevenir a gripe ou qualquer outro vírus respiratório. Continue com o básico: lave as mãos, cubra sua tosse e espirros e fique em casa quando estiver doente.

Fonte: The Wall Street Journal

Tomar remédios para resfriado comuns é uma boa prática?

Os especialistas dizem que isso é útil para controlar os sintomas, que é a base do tratamento do novo coronavírus. Mas não é uma cura e não o impedirá de infectar outras pessoas.

Fonte: The Wall Street Journal

Se você tocar em uma superfície dura com o vírus e, em seguida, tocar em comida e comê-la, poderá se expor a ela?

O vírus transmite através de "gotículas respiratórias" quando uma pessoa infectada fala, tosse ou espirra, de acordo com a OMS. As gotículas podem se depositar em superfícies próximas, onde podem sobreviver por um período, embora não se saiba há quanto tempo. Uma pessoa pode ser infectada tocando em uma superfície contaminada e depois em sua boca, nariz ou olhos.

O Dr. Poland diz que, se for uma superfície exposta à luz solar do lado de fora, o vírus provavelmente vive apenas por alguns minutos ou até uma hora. Mas se estiver dentro de casa e em um ambiente seco, os germes podem viver até um dia ou dois.

Se alguém em casa estiver doente, o CDC recomenda a limpeza de superfícies que são tocadas com freqüência - como maçanetas e bancadas - todos os dias. Toalhetes e limpadores desinfetantes domésticos regulares devem ser suficientes. Qualquer coisa com álcool ou água sanitária funciona.

Fonte: The Wall Street Journal

Que precauções você recomendaria para pegar um avião?

A OMS recomenda que os viajantes adotem as mesmas precauções que seguiriam para evitar pegar qualquer doença: mantenha as mãos limpas e use panos anti-sépticos em qualquer superfície, como mesas de bandeja e apoios de braços, onde os germes possam permanecer. Ao contrário da crença popular, o ar da cabine é menos preocupante; praticamente todos os jatos internacionais estão equipados com filtros de ar particulado de alta eficiência, semelhantes aos usados nas salas de cirurgia do hospital. O ar da cabine é atualizado a cada dois ou três minutos.

Fonte: The Wall Street Journal

O Prometheus faz vacinação à domicílio em residências, empresas, condomínios?

Neste ano, em função do Coronavírus e da demanda não estamos realizando vacinação in-company ou à domicílio para residências, empresas ou condomínios

Tem mais dúvidas? Entre em contato!

© 2018 - Prometheus Centro de Imunização e Infusão
Horário de Funcionamento:
Seg. - Sex. das 8h00 às 17h00
Sábados das 8h00 às 14h00
Tel.: (11) 5081.4936 / 5082.3913
WhatsApp: (11) 94086.1112